Após apelo em rádio, ladrão devolve pertences de vítima

0


Veja a história de um assalto que teve um desfecho inesperado. E pergunta: será que existe ladrão de bom coração? “A gente luta para poder trabalhar, e você vem, fácil, e leva as coisas embora”, diz um homem.
“Devolva os materiais, os objetos do Sr. Manoel Damasceno porque ele está pagando prestação. É um rapaz pobre, batalhador. Deve ser que nem você. Precisa desse material de volta. Pelo amor de Deus, devolva os objetos dele”, diz um locutor de rádio.

Seu Manoel vivia se gabando com os amigos: 40 anos dirigindo caminhão e nunca havia sido roubado na estrada. Não imaginava que um dia perderia o sossego dentro de sua própria casa na roça. Onde muita gente dormia de janela aberta, ele viu sumir, de repente, quase tudo o que tinha em casa.

“Só não levaram os móveis porque é ruim de carregar”, conta o motorista aposentado Manoel Damasceno. As jóias que estavam no armário, o rádio, a televisão e até o DVD que tinha dado de presente aos filhos: “O DVD eu ainda estava devendo prestações, ainda estava pagando”, conta Manoel.

Seu Manoel ainda teve o trabalho de tapar o buraco que o ladrão abriu na parede para entrar na casa. Em vez de ir à delegacia, registrar a queixa e pedir a ajuda da polícia, seu Manoel procurou um amigo radialista que faz um programa de notícias em uma rádio. Conversaram e os dois resolveram fazer um apelo para comover o ladrão.

O programa estava no ar e seu Manoel, muito abatido. A pedido do Fantástico, o radialista reproduziu o apelo que fez: “Eu sei que você tem sentimento. Eu sei que você é um ladrão, mas tem um coração bom. Você tem família, tem mãe, tem pai. O homem aqui está desesperado, o homem perdeu tudo, está pagando prestação. Ladrão, pelo amor de Deus, devolva os objetos do seu Manoel Damasceno”, pediu o amigo radialista.

Os moradores de Serrinha, no sertão baiano, ficaram surpresos: “Todo mundo que ouviu se emocionou e ficou torcendo para que o ladrão devolvesse tudo”, conta o relojoeiro João de Jesus.

A dúvida era saber se o assaltante também estava ouvindo o rádio. Na noite seguinte, o ladrão voltou à casa do seu Manoel e, mais uma vez, fez tudo sem ser visto. Esteve no mesmo local. Não entrou, nem roubou, mas deixou a prova do seu arrependimento: TV, DVD, jóias, tudo de volta. Seu Manoel custou a acreditar.

Até o velho radinho de estimação reapareceu: “O radinho ia fazer muita falta, é para ouvir minhas músicas de manhã. Quase choro de alegria”, conta seu Manoel.

Os moradores também comemoraram: “Eu nunca vi na minha vida um ladrão honesto”, conta o técnico em eletrônica Carlos Araújo.

“No primeiro momento fiquei com pena da vítima, e depois achei a história engraçada”, diz a psicóloga Roberta Barreto.

Embora não tenha sido acionada pela vítima, a polícia está investigando o caso: “Pode ser um ladrão conhecido da vítima, uma pessoa próxima, que sabia que não tinha ninguém na casa. O ladrão ficou comovido ou com medo”, acredita o delegado Fabio Santos Silva.

Será que existe outro ladrão arrependido, como esse da Bahia? Em Lins, a 430 quilômetros de São Paulo, a vítima foi um serralheiro. Sérgio Aurélio Gregórioguardava os equipamentos de trabalho em uma casa de madeira. Ladrões pularam o muro do vizinho, tiraram as telhas e abriram o forro.

“Pegaram bastante coisa que estava lá, louça, jogo de jantar e as ferramentas nossas. Furadeira, lixadeira, cabo, extensão, levaram tudo”, lembra o serralheiro Sérgio Aurélio Gregório.

Na rádio de Lins, o serralheiro resolveu fazer seu apelo. Vai que a moda pega. “A gente tem família pra sustentar, aluguel para pagar. Então fica difícil. Se você puder devolver, a gente agradece”, pediu o locutor da rádio.

Já em Três Rios, a 120 quilômetros da capital fluminense, os objetos foram furtados de um asilo. Os ladrões arrombaram a porta e levaram um monitor, um telefone e até algumas moedas que estavam guardadas em um cofre. A presidente da instituição foi à rádio: “São bens pequenos, mas que, para nós, fazem muita diferença”, explica Eliane Alves Esteves. Até agora, ninguém devolveu nada. Nem em Lins, nem em Três Rios.

Seu Manoel, que teve os objetos devolvidos na Bahia, diz que não se importa se a polícia não descobrir quem foi. De tão satisfeito com o desfecho, ele voltou ao estúdio da rádio para agradecer ao amigo radialista e ao ladrão: “Eu falei para o ladrão: ‘Ladrão, muito obrigado, você foi muito gentil comigo. Agora, vou lhe dar um conselho: saia dessa vida. Roubar só tem dois caminhos: cadeia e a morte’”, conta seu Manoel.

Será que ele ouviu? “Ouviu, com certeza e Deus vai tocar o coração dele e ele vai mudar. Vai virar um ladrão aposentado”, espera seu Manoel.

Creditos: Fantástico

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here